Connect with us

Futebol

Profissionais do Esporte com um coração enorme e bolsos cheios

This post is also available in: English (Inglês) Deutsch (Alemão) Italiano (Italiano)

A crise do Corona colocou muitas pessoas em posição de necessidade. Alem da doença em si e do controle da pandemia, é também uma questão de sobrevivência financeira para muitas pessoas afetadas pela imensa quantidade de eventos cancelados. Mas também, outros negócios foram fortemente impactados financeiramente como consequência economica da quarentena. Alguns estão enfrentando dificuldades financeiras e estão dependendo de auxilio de Instituições de caridade, como cestas básicas e outros suportes.

Muitos jogadores de futebol, tenistas, jogadores de basquete entre outros esportes são muito generosos quando o assunto se trata de ajudar os menos sortudos. Alguns profissionais, além de doar regularmente para ONGs, abriram a propria Organização não-governamental.

Existe apenas alguns esportes onde o melhor dos melhores pode ganhar tanto dinheiro quanto no futebol. E nem a carteira desses profissionais são tão cheias quanto a do Ronaldo, alguns estão cientes da responsabilidade social e usam isso para se tornarem socialmente ativo.

Mas antes vamos dar uma olhada no mundo do futebol e das boas ações desses jogadores.

Clubes e jogadores alemães mostram solidariedade na crise do Corona. A seleção de futebol da Alemanha doou 2.5 milhões de euros pela causa. Outro time de futebol da Alemanha que também gosta de ajudar é o DFB (Associação Alemã de Futebol) Fundação Sepp Herberger. Junto com o jogador da seleção Alemã Jonathan Tah, eles lançaram um programa de ajuda para auxiliar os familiares dos jogadores de futebol que estão necessitados devido a pandemia do Corona ou seja, pessoas que estão envolvidas na Associação Alemã de Futebol (DFB), as subdivisões e os funcionários ou até mesmo os voluntários são elegíveis a ajuda.

O time nacional de futebol Inglês mostra solidariedade com o sistema de saúde Britânico NHS nos tempos de corona. Uma parcela dos ingressos de um total de 16 jogos internacionais desde a Copa de 2018 é doada para o NHS através da iniciativa #PlayersTogether.

Outra iniciativa dos jogadores de futebol é chamada de Streetfootballworld. Juan Mata, um meio de campo do Manchester era um dos fundadores desse projeto ambicioso. A organização Streetfootballworld visa ajudar projetos sociais relacionados ao futebol. todos os participantes, como Mats Hummels (Borussia Dortmund), Serge Gnabry (FC Bayern München). Alexanders Esswein (Hertha BSC), Daniel Divadi (VfB Stuttgart), Jürgen Klopp (FC Liverpool), Giorgio Chiellini (Juventus Turin), Shinji Kagawa (Real Saragossa), Megan Rapinoe (Reign FC) concordaram em doar 1% de seus salários para a organização.

E o Cristiano Ronaldo?

Parece que o Ronaldo tem um coração grande já que ele doa muito e com muita boa vontade. Quando ele e seu time Real Madrid ganhou a Liga dos Campeões em 2016, ele deu o premio de 600.000 Euros para os médicos do time ao invés de reivindicá-lo para si mesmo. Após desastres naturais como o terremoto em Nepal em 2015, ele doou 7 milhões de euros para a ONG “Salvem as Criança” (“Save the Children”). Onde em 2014, temporais destruíram mais de cem mil lares na Bósnia, Sérvia e Croácia, Ronaldo liberou 6.5 milhões para ajudar as vítimas. Em momentos de Corona, o craque português doou milhões para 2 hospitais em Portugal para ajudar a luta contra a pandemia do Coronavírus.

E o NBA?

Vários craques do NBA já prometeram somas de 6-dígitos para ajudar suas equipes e pessoas envolvidas nas arenas. A vontade de ajudar é normalmente maior nos EUA do que em outras partes do mundo. O motivo é a diferença na cultura corporativa e social nos EUA. A falta de sistema social é só uma das razões que os jogadores como Giannis Antetokounmpo (Milwaukee Bucks), Kevin Love (Cleveland Cavaliers), Blake Griffin (Detroit Pistons) e outros decidiram doar valores em torno dos 100.000 dólares cada, assim que o Coronavírus atingiu a nação. O francês Rudy Gobert, infectado com o Corona, Distribuiu 500.00 dólares para diversas organizações. Zion Williamson, do Orleans Pelicans, anunciou que iria assumir os salários de todos os funcionários da arena de New Orleans Pelicans por 30 dias.

Alguém falou Tennis?

Vamos começar com o esportista que tem o salário mais alto, o suíço Roger Federer. Roger e sua esposa Mirka doaram 1 milhão de francos suíços para a luta contra o Covid-19. O dinheiro deve apoiar famílias suíças que encaram a crise financeira devido as consequências da crise do Corona.  Além disso, Roger auxilia diversas ONGs  em torno do mundo, principalmente através da sua própria ONG, a Fundação Roger Federer. O principal foco da organização é projetos de educação localizados na  Suíça e na região da Africa do Sul. Os programas na Africa focam no melhoramento da qualidade da educação primária e da educação básica. Os projetos da Suíça intencionam promover atividades extra curriculares para crianças afetadas pela pobreza. Roger também apoia outras fundações como por exemplo a Fundação Elton John que apoia portadores de HIV e o Projeto Pequenos Passos.

Outra tennista generosa é a Serena Williams. Em Janeiro de 2020, depois de 3 anos sem ganhar um titulo e depois de uma pausa para sua filha, ela ganhou o Torneio WTA em Auckland, Nova Zelândia. Ao invés de manter o prêmio em dinheiro de 43.000 US dólares, ela o doou para ajudar o fundo de vítimas das queimadas devastadores na Austrália. Em 2014 a tennista lançou  Serena Empreendimentos. A organização investe em empresas que adotam emponderamento pessoal, liderança diversificada, oportunidade e criatividade. E claro, há diversas outras organizações que Serena ajuda, como UNICEF,  Build African Schools (Construindo Escolas Africanas), Hearts of God (Corações de Deus  etc.

Rafael Nadal tem um coração enorme também. Junto com o jogador de basquete Pau Gasol, ele começou uma campanha de financiamento colaborativo (crowdfunding)  para recolher doações para vítimas da pandemia do Corona no final de Março. Naquele momento, a meta era levantar 11 milhões de euros para a Cruz Vermelha. alguns meses depois, no começo de Junho, os dois revelaram que a campanha arrecadou mais de 14 milhões de euros. O dinheiro será usado para ajudar mais de 1 milhão de vítimas da pandemia na Espanha, incluindo aqueles que estão com necessidades devido ao impacto economico da crise.

Claro que há muitos outros profissionais que estão mais que dispostos em dividir a riqueza deles com aqueles que precisam. Se há algum em particular que você gostaria que nós dessemos uma olhada, comente abaixo.

Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

More in Futebol